A Novena Perpétua

Quando foi criada a paróquia de São Raimundo, em abril de 1962, teve um episódio que me marcou muito: foi a primeira novena feita pelos redentoristas neste bairro.

Quando terminou o novenário – nove dias seguidos –, coordenado pelo Pe. Tiago, começou a procissão, e foi uma coisa que me marcou muito porque era noite, todo mundo com as velas acesas, uma multidão imensa! E a multidão que saiu primeiro já ia chegando e ainda tinha muita gente pra sair e fazer o percurso (…). A partir daí começou a novena nas quartas-feiras. Vinha tanta gente, que foi preciso a comunidade pedir ao Seu Altino, dono da Empresa Angelim, que criasse uma linha especificamente para a igreja de São Raimundo.

Quando o ônibus chegava na igreja, todos desciam, só ficava o motorista. Mazé Acário

A Devoção

O culto ao ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem uma história que conta com um período de esquecimento e de restauração, na qual os Missionários Redentoristas tiveram um papel determinante.

Foi no dia 26 de abril de 1866, numa procissão comovente, que o ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi entronizado na igreja de Santo Afonso e pode então ser novamente venerado publicamente. Papa Pio IX ao entregar o quadro aos Missionários Redentoristas pediu: “Façam-na conhecida no mundo inteiro”.

A história do ícone envolve um roubo, uma tormenta em alto mar, uma mensagem de Nossa Senhora a uma criança, tempos de veneração, de esquecimento e uma guerra até chegar às mãos da Congregação do Santíssimo Redentor.

O quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um ícone bizantino antigo que representa a Virgem da Paixão como o Menino Jesus nos braços. Essa imagem mariana foi pintada para animar a esperança e a oração dos cristãos, e sua profunda mensagem espiritual transparece em sua beleza artística.

Ele é uma pintura em madeira, com 54 centímetros de altura por 41,5 de largura. Atualmente, o quadro original encontra-se na Igreja de Santo Afonso, em Roma. É considerado um ícone mariano com rico simbolismo de formas e cores.

Na atualidade, uma marca dessa devoção são as Novenas Perpétuas realizadas em todas as comunidades redentoristas e que tiveram o seu início em 1922, no Missouri, Estados Unidos.

A mensagem do ícone

Ícone é o nome dado a uma pintura que, não sendo apenas um quadro ou uma obra de arte, é carregada de significados sagrados e leva seu observador à oração. O Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é formado por quatro figuras: Nossa Senhora, o Menino Jesus e dois arcanjos.

A aparição dos arcanjos com uma lança e a cruz mostram ao Menino Jesus os instrumentos de sua Paixão. Assustado corre aos braços da Mãe. Por causa do movimento brusco desamarra a sandália. Maria o acolhe com ternura e lhe transmite segurança. O olhar de Nossa Senhora não se dirige ao Menino, mas a nós. Porém, sua mão direita nos aponta Jesus, o Perpétuo Socorro. As mãos de Jesus estão nas mãos de Maria. Gesto de confiança do Filho que se apóia na Mãe. Na riqueza de seus símbolos, o ícone bizantino tem ainda muito a revelar.

Atualmente, o quadro original encontra-se na Igreja de Santo Afonso, em Roma. É considerado um ícone mariano com rico simbolismo de formas e cores. Todo o quadro é dourado e dele saem reflexos ressaltando as roupas e simbolizando a alegria do céu, para onde caminhamos levados pelo Perpétuo Socorro de Maria.

Conheça cada símbolo

Abreviatura de Mãe de Deus

As letras em grego acima da sua cabeça a proclamam Mãe de Deus.

Abreviatura de São Miguel Arcanjo

São Miguel apresenta a lança, a vara com a esponja e o cálice da amargura.

Abreviatura de São Gabriel Arcanjo

São Gabriel segura a cruz e os cravos, instrumentos da morte de Jesus.

Abreviatura de Jesus Cristo

As letras IC XC indicam o nome de Jesus Cristo em grego.

Estrela

A estrela no véu de Maria é a estrela-guia, que nos conduz como conduziu os reis magos, ao encontro com Jesus. Que nos guia no mar da vida até o porto da salvação.

Olhos de Maria

Os grandes Olhos de Maria, voltados sempre para nós, a fim de acolher-nos e ver todas as nossas necessidades.

Boca de Maria

A Boca de Maria guarda o silêncio. Ela que falava pouco, mais comunica muito a partir do seu olhar sereno. Guarda tudo em seu coração.

Túnica Vermelha

A Túnica Vermelha distinguia as virgens do tempo de Nossa Senhora. Sinal de pureza, mas também da força da fé.

Centro do Ícone

Maria, ao mesmo tempo que nos acolhe com o seu olhar, com a mão aberta nos indica Jesus Cristo como nosso Redentor, nosso Perpétuo Socorro.

Mão direita de Maria

As Mãos de Jesus apoiadas nas mãos de Maria, significando confiança total e que por ela nos vêm todas as graças.

Mão esquerda de Maria

A mão esquerda de Maria sustenta Jesus. A mão que apoia, acolhe e protege aqueles que, nos sustos da vida, correm para os braços da Mãe.

Manto Azul

Manto Azul referência das mães daquela época. Maria é a Virgem-Mãe de Deus.

Sandália Desatada

A sandália desatada – símbolo talvez de um pecador preso ainda a Jesus por um fio – o último – a devoção a Nossa Senhora. Nos desesperos da vida, assustados pelas dificuldades e medos, corremos o risco de perder-nos. Mas resta ainda um fio que nos une à salvação.